Meu filho está entrando na adolescência. Devo mudar minhas atitudes?

Mayra Jordão 0 Comentários 20 de janeiro de 2016

Foto

Por Andreia Mendonça.

Filhos são presentes de Deus!

E Deus conta com os pais no processo da formação desse individuo, mas não através dos valores utilitaristas do mundo de hoje, e sim através dos valores reais da vida! Lidar com adolescentes não é uma missão muito fácil para a maioria dos pais, mas acredito que isso é uma questão de “estratégia” e que, nós pais, podemos nos sair muito bem com eles. Para isso, precisamos mudar algumas atitudes, e na concepção deles precisamos deixar de tratá-los como crianças.

Os pais precisam trabalhar e se preocupam em suprir suas ausências com presentes, mas isso está criando uma geração despreparada. As crianças estão entrando em depressão quando suas expectativas não são saciadas. Quer dar um futuro melhor ao seu filho? Ame-o! Ensine a ele o valor do caráter! Tenha tempo para seu filho, não só para brincar, mas para perceber seus comportamentos! Diga a ele “eu te amo”! Abrace-o demorado!

Uma pessoa amada é amável. Uma criança cheia de amor pede menos coisas. Olhe para seus filhos e desfrute de cada momento com eles. Aproveite, se torne mais leve, olhe para eles e se divirta. Eles são uma delícia de viver!

Estou passando a fase da adolescência dos meus filhos de forma muito tranquila. Meus dois filhos adolescentes são conscientes de que a família criou regras que precisam ser seguidas. Mas isso se deve à forma mais rígida com que foram criados desde pequenos, em que o NÃO sempre foi mais constante do que o SIM.  O que os pais precisam entender que dizer NÃO para o filho é uma atitude de amor. O não impõe limites e o prepara para o mundo.

Temos que pensar no futuro dos nossos filhos a partir do momento em que eles nascem. A forma com que começamos a criá-los vai impactar profundamente nas próximas fases, e o erro na criação da infância causa frustrações quando somos obrigados a corrigi-los mais tarde. Eu sempre tive esse conceito, mas, mesmo trabalhando fora, fiz questão de educar meus filhos. Acredito que essa é uma obrigação dos pais, não podemos terceirizar isso à escola, à babá ou até mesmo aos avós que cuidam de nossos filhos, como foi o meu caso.

Tenho dois filhos adolescentes e uma quase pré-adolescente, cada um com sua essência e diferença de personalidade, mas todos seguem os mesmos exemplos: dos seus pais. O fato é que educação se dá com exemplos e aprendo esse fato com eles todos os dias.

Os pais são grandes influências para os filhos, mesmo os mais simples gestos. Temos que estar sempre atentos ao que fazemos, falamos e como agimos, porque eles vão nos imitar. E, com os adolescentes, é preciso impor algumas regras, ser flexíveis com outras, e de vez em quando fazer algumas permutas “saudáveis”.  Vale tudo para viver em harmonia.

Por outro lado, sempre ando na linha com eles, cumpro à risca a minha parte. Com isso, não tem como eles negarem um pedido meu.

As regras de convivência, aprendizado e educação que eu e meu marido temos em casa em relação aos nossos filhos são as seguintes:

1ª) Respeito é a base do relacionamento. Eles não podem fazer aos outros o que não gostariam que fizessem com eles.

2ª) Pai e mãe têm direito de dar ordens que devem ser cumpridas à risca.

3ª) Um dos pais tem que ser mais flexível. No meu caso, meu marido é quem tem esse papel.

4ª) Importante não gritar, os filhos odeiam isso. Dê o tempo necessário a eles para depois falar com eles normalmente e com carinho, cuidado e muito amor.  Sou muito brava quando fazem algo errado, dou a bronca e, se precisar, ficam de castigo. Mas sempre explico porquê estou tomando essa atitude. Depois conversamos por um bom tempo, um papo bem sincero e deixo também que eles falem o que estão sentindo. Caso não queiram falar, peço para refletirem sobre o assunto.

5ª) Também acredito que eles precisam se sentir importantes, então gosto de atribuir responsabilidades a eles.

6ª) De vez em quando deixo-os à vontade. Podem receber os amigos, dormir de madrugada e jogar as roupas no chão. É um dia de liberdade. Mas no domingo à noite é preciso colocar ordem no quarto, para isso, eles têm 20 minutos. Isso funciona muito aqui em casa!

7ª) Os filhos precisam confiar nos pais e, para isso, necessitam ser amigos. Para conquistar a amizade dos filhos, temos que dar liberdade para que sintam à vontade com a gente. Então, faça carinho no seu filho, deite-o no seu colo, faça um cafuné, convide-o para sair, tomar um sorvete, fazer uma atividade física.  Enfim, disponibilize um tempo de sua vida para dar atenção a eles. E uma coisa muito importante é a vida espiritual dos filhos, precisamos ensiná-los desde pequenos a ter comunhão com Deus.

O fato é que eles são demais: inteligentes, espertos, lindos e estão passando por uma fase de mudança em suas vidas. E nós não vamos querer, de jeito nenhum, perder os lindos laços de união que temos com eles! Nem podemos!

O papel dos pais é orientar e apoiar e, para isso, só temos que ter sabedoria e paciência na medida certa para que possamos estar juntos durante esse período e sem tantos contratempos.

Vamos deixar um legado aos nossos filhos? Qual é a marca que você está deixando para seu filho? Qual a mensagem? Você ensina uma menina a ser cuidadosa com a casa sendo cuidadosa com a casa! Você ensina uma menina a gostar dela gostando de você! Ensine pelo exemplo!

Andreia Mendonça, empreendedora, sócia da empresa Softhouse Assessoria, Representante WoltersKluwer Prosoft, mãe, esposa, fundadora da Câmara da Mulher Empreendedora de Varginha.

0 comentários

Deixe um comentário