Precisamos falar sobre suicídio!

Mayra Jordão 0 Comentários 3 de novembro de 2017

Por Naara Amim de Souza.

Precisamos falar sobre a importância de cuidar da nossa saúde emocional.

Precisamos cuidar de nós como cuidamos das pessoas que amamos.

Precisamos enxergar que não existe perfeição humana, uma vez que a perfeição só cabe ao Sagrado.

Precisamos aceitar que somos imperfeitos, aceitar que não temos capacidade humana para dar conta de tudo sozinho.

E então, precisamos  contar com a ajuda de outras pessoas.

Precisamos contar com a nossa família, as pessoas que nos amam e também com as ajudas profissionais.

Precisamos perceber que nós somos seres bio-psico-sociais  e por isso  precisamos de ajuda médica, ajuda psicológica, ajuda de várias pessoas que, assim como você, também tem problemas e nem por isso se tornam incapazes de ajudar com qualidade.

Precisamos perceber a importância da espiritualidade, independente de religião, crença ou Igreja. Cultivar a Fé é, muitas vezes, o caminho mais curto para alcançar a paz interior, para tranquilizar nossos pensamentos quando não encontramos respostas lógicas para nossas perguntas existenciais.

Precisamos entender que fé não é esperar que Deus atenda todas as nossas preces. Fé é acreditar que tudo acontecerá conforme o tempo e a vontade de Deus, mesmo que não seja a sua.

Precisamos acreditar que em tudo existe um propósito, um ensinamento.

Precisamos trabalhar a nossa paciência para dar conta de aceitar e esperar o tempo das coisas acontecerem, porque nem tudo conseguimos na hora exata que desejamos.

Precisamos respirar fundo, fazer uma pausa e pensar nas diversas possibilidades que temos, mesmo quando o nosso problema é tão grande que parece não ter solução. É preciso contar com outra pessoa que te ajude a enxergar as alternativas de saídas deste “labirinto” que você se encontra.

Precisamos pensar mais nas consequências das nossas escolhas e lembrar que nunca é tarde para mudar o rumo da nossa vida.

Precisamos compreender que nem tudo se resolve com dinheiro e que as coisas mais valiosas da vida não tem valor monetário.

Precisamos ressignificar nossos eventos traumáticos.

Precisamos descobrir ou redescobrir o sentido da nossa vida.

Precisamos exercer a gratidão das coisas simples.

Precisamos viver o momento presente com mais qualidade, fazendo hoje o que é possível hoje.

Precisamos enfrentar os nossos medos.

Precisamos deixar no passado o que é do passado e começar a fazer diferente agora tentando não repetir os mesmos erros.

Precisamos planejar o nosso futuro sem deixar que as nossas fantasias negativas atrapalhem o nosso momento presente com pessimismos que nos bloqueiam.

Precisamos exercer a empatia e nos colocar no lugar dos outros entendendo que cada um tem uma maneira muito singular de ser. Compreender que cada pessoa tem dificuldades, defeitos, qualidades e potencialidades muitas vezes diferentes das nossas.

Precisamos entender que não é egoísmo a gente se amar, egoísmo é a gente querer que os outros sejam e pensem como nós. Egoísmo é a gente achar que a nossa dor é maior que a dos outros.

Precisamos amar mais!

0 comentários

Deixe um comentário