11997168_911965045539883_566141592_n

Por Matheus Jordão.

Olá leitora Vip, tudo bem! Hoje vamos falar de espaços, mas não de grandes e sim de pequenos locais. Isso mesmo! Depois de ler sobre vários arquitetos e baseando em Andrya Kohlmann e Rafael Lorentz comentaremos sobre seis maneiras de você ampliar os pequenos ambientes, muito comuns especialmente em grandes cidades nos dias atuais.

  1. Amplitude: Evite usar grandes móveis verticais que vão do chão ao teto, pois estes elementos além de esconderem o forro e o teto (que mantidos livres ajudam a superdimensionar o ambiente), seu tamanho faz com que o lugar pareça ainda menor. Outra solução é deixar os móveis maiores nas periferias (nos cantos das paredes) do apartamento.

apartamento-pequeno-sala-moderna

 

 

  1. Forros: A continuidade de superfícies planas dá a sensação de amplitude. Dessa forma evite a segmentação do forro de gesso e tome cuidado no uso de sancas que podem “quebrar” o efeito contínuo.

Gesseiro_Forro_Nichos_Molduras_Sancas_de_Gesso_SP__Alcapao_para_forro_de_gesso___Zona_Sul__leste__Oeste__Norte__gesseirosp.org

  1. Iluminação: A iluminação é um dos principais componentes de um espaço, por isso procure utilizá-la de maneira coerente e fácil. Evite o uso de lustres e luminárias robustas. Dê preferência a elementos embutidos e a fitas de LED. A utilização de trilhos é uma ótima solução para dar charme e beleza a objetos expostos.
  2. 05-apartamento-colorido-descontraido-e-charmoso-em-copacabanaMóveis: Procure evitar o uso de vários pequenos móveis com designer e tamanhos diferentes entre si. Foquem em um único móvel que abranja diversas funções. Os móveis retráteis também são uma ótima opção. Desta maneira você terá uma integração e circulação melhor. Caso não encontre mobílias com estas características, tente manter a estética e a continuidade visual do local.

apartamento-32m-adriana-fontana-08

 

 

  1. Cores: Nos pequenos ambientes não se recomenda o uso de diferentes tonalidades e estampas. Dê preferência a tons neutros, como o cinza, o bege, o creme ou o marrom. Use pouca variação de cores e se quiserem “retirar o tédio” mude a textura e o acabamento. Uma parede com uma cor neutra mais forte, como o azul marinho, dá profundidade ao ambiente.

Cliente_Tijuca_Arquitet_Thoni_Litsz_02

  1. Piso: Como nos forros a ideia da fluidez também deve ser aplicada em pisos. Assim é ideal seguir um padrão de piso nos espaços do local. Evite os tapetes e preste atenção no material do piso, pois dependendo da região ele pode interferir no conforto climático dos usuários.

porcelanato-apartamentos-pequenos

Matheus Jordão David Silva tem 20 anos, cursa o 2° ano de Arquitetura e Urbanismo na UNISANTA em Santos (SP). Talentoso, gosta de desenhar, gosta de comer (experimentar coisas diferentes) e sair com os amigos. É sempre bem humorado e uma ótima companhia.

2 Respostas

  1. Gilséa Maria Reis Jordão DAvid

    Achei excelente esta explicação sobre os ambientes. Muito bem explicado e variado. Parabéns.Serei uma assídua leitora deste site principalmente destes ensinamentos do futuro arquiteto que ja demonstra um grande conhecimento e bom gosto naquilo que faz.

    Responder
  2. Camila Peloso

    Muito interessante como podemos valorizar espaços pequenos com ideias simples! Adorei todas as dicas… Parabéns!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.